“(…) dê seu coração para ele, ele lhe dará o dele.”

Nenhum presente será tão eterno na memória e no coração quanto um que seja capaz de retribuir todo o amor que recebe… Eu não coloquei na minha lista dos melhores filmes que assisti nesse ano porque esqueci, mas hoje, bem, vocês sabem, passou Marley & Eu na televisão e parece que foi só pra me lembrar do quanto esse filme me diz tanto e me emociona. Só quem tem ou já teve um cachorro, sabe o apego que se cria, e a profundidade do amor que um bichinho é capaz de sentir mesmo que seja incapaz de expressar isso em palavras.

Eu tinha 4 ou 5 anos quando ganhei meu primeiro cachorro e me lembro como se fosse ontem do meu pai chegando do trabalho com ele, um filhote de poodle branco com 2 meses de idade. Foi amor a primeira vista e o chamei de Pluto, porque eu gostava muito de assistir Mickey Mouse. Ele comia meus brinquedos, meus pares de sapatos, roía os móveis, mas mesmo não sendo um bom exemplo, me ensinou valores que eu jamais vou me esquecer: o respeito à vida, o valor de uma amizade, o que é lealdade. Então aos 12 anos de idade ele se foi, e até hoje quando vejo fotos, lembro de coisas que passei ao lado dele, e choro muito de saudade. Ainda me dói o coração e me faz pensar que todos os cachorros deveriam ser eternos, e morrer só depois dos donos.

Assistindo Marley & Eu, chorei muito por sentir saudade, chorei por saber que inevitavelmente irei passar por essa dor de perda ainda algumas vezes e por sentir medo de que seja em breve… Chorei por sentir pena de todos os cachorros que como aquela Yorkshire e milhares de cachorros que vivem nas ruas ou são maltratados por suas próprias famílias, não tiveram a sorte de encontrar donos que reconhecessem a sinceridade do amor que são capazes de doar. É pra esses e pros melhores presentes que já ganhei nessa vida, que dedico esse post e se você não assistiu, não perca essa oportunidade!

“Para um cão,você não precisa de carrões,de grandes casas ou roupas de marca. Símbolos de status não significavam nada para ele. Um graveto já está ótimo. Um cachorro não se importa se você é rico ou pobre, inteligente ou idiota, esperto ou burro. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Dê seu coração a ele, e ele lhe dara o dele. É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos, tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não. De quantas pessoas você pode falar isso? Quantas pessoas fazem você se sentir raro, puro e especial? Quantas pessoas fazem você se sentir extraordinário?”

Anúncios

9 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s