Dica de Livro

Dica de Livro do Dia #11 – As Crônicas Vampirescas, de Anne Rice

A série a seguir está na minha wishlist há tempos! Assim que eu conseguir terminar os cinco livros que estou lendo ao mesmo tempo, começarei a ler estes! As Crônicas Vampirescas possuem três volumes: Entrevista com o Vampiro (sim, aquele mesmo do filme!), O Vampiro Lestat e Rainha dos Condenados (que foram filmados juntos para o filme Rainha dos Condenados, lançado em 2002).

Sinopse: Uma história que começa com a ousadia de um jovem repórter ao entrevistar Louis de Pointe du Lac, nascido em 1766 e transformado em vampiro pelo próprio Lestat, figura apaixonante que terminará, ao longo da série, arrebatando multidões como cantor de rock. Louis, esse vampiro que se recusa a livrar-se das características humanas e aceitar a crueldade e a frieza que marcam os vampiros, continua a contar a história desde o início. É um mundo de uma fantasia impressionante, um mundo gótico, romântico, esse criado por Anne Rice (…).

Sinopse: A história de Lestat, um aristocrata que resolve tornar-se ator na Idade Média, e torna-se vampiro ao acaso. Conheça sua vida ao longo dos séculos e como se transforma em um ídolo do rock na atualidade. Apesar do sucesso imediato atingido com o clássico Entrevista com o vampiro (1976), foi com a publicação de O vampiro Lestat (1985), o segundo volume das Crônicas Vampirescas, que a escritora Anne Rice transformou-se num fenômeno literário. Hoje a autora conta com uma extensa coleção de best-sellers e uma legião fiel de fãs em todo o mundo. E sua criatura mais famosa segue o exemplo. O vampiro Lestat é como um Michael Jordan da literatura gótica. Tem newsletter própria e os mais diversos produtos com a sua marca — de bonecos a vinhos nobres.

Sinopse: Em A rainha dos condenados, a escritora americana Anne Rice retoma os personagens que a tornaram famosa e faz o livro de maior suspense e densidade de suas Crônicas Vampirescas. Aqui, há vampiros para todos os gostos. Jovens e delinqüentes, como Baby Jenk, da Gangue das Garra, românticos como Armand e Daniel, estudiosos como Jesse, que investiga para a organização conhecida como Talamasca, a história desses seres estranhos, imortais misturados entre mortais, para quem sangue, sexo e morte são elementos indissolúveis do dia-a-dia. Reunidos em torno de Lestat, eles respondem ao chamado de sua música quase hipnótica e correm, ao longo da narrativa de Anne Rice, um perigo difícil de evitar. É que o som de Lestat desperta Akasha, a mãe dos vampiros, a encarnação da força maléfica feminina, disposta a escolher os justos, entre os vampiros, através de um banho de sangue. Mestra da alquimia entre crueldade e poesia, Anne Rice prova em A rainha dos condenados saber fazer em literatura o que Lestat faz em música. Impossível não segui-la hipnoticamente até a última página.

*Curiosidade: escrito em 1976, a tradução de Entrevista com o Vampiro para português foi feita pela Clarice Lispector.

Dica de Livro do Dia #3 – Eu sou Ozzy

Havia quem dissesse que Ozzy jamais escreveria um livro na vida, mas ele provou o contrário e acabou escrevendo um dos livros mestres de venda nos últimos tempos!

“Eu sou Ozzy” começa um tanto morno, mas ao poucos, já nas primeiras páginas, revela que grandes histórias estão por vir!

É um livro para quem gosta de rock e, acima de tudo, de boas histórias para rir. Ozzy tem várias delas! De escrita leve, cativante e fácil, a autobiografia nos mostra mais do que um roqueiro alucinado!

Sinopse: Ozzy Osbourne é um dos nomes mais importantes no rock. Ao formar a banda Black Sabbath, ele ajudou a moldar um estilo que, anos mais tarde, se tornaria conhecido no mundo todo e adorado por milhares de fãs. Além do impacto musical, sua personalidade carismática e desvairada foi responsável por sua popularidade. Nos anos loucos em que esteve à frente do Sabbath, Ozzy protagonizou episódios de exageros com drogas, os quais resultaram em sua saída do grupo. Iniciou uma carreira solo bem-sucedida, também permeada pelos excessos. Após a morte trágica do guitarrista de sua banda e grande amigo Randy Rhoads em um acidente de avião, Ozzy diminuiu o ritmo e a intensidade de seu comportamento, mas nunca o talento. Lançou discos excelentes que se tornaram clássicos e voltou a se reunir em algumas turnês com a antiga formação do Black Sabbath. Formou uma família tão feliz quanto insólita, o que lhes rendeu o convite para protagonizarem um reality show na MTV, “The Osbournes”. Nesta autobiografia, o “madman” conta em detalhes e com muito humor sua trajetória de sucesso, escândalos, amor e muito rock ‘n’ roll.

PS. Não leia em locais públicos! Você dará tantas risadas que será difícil não se passar por louco também!

Dica de Livro do Dia #1 – Cartas, Caio Fernando Abreu

O livro que separei essa semana para falar aqui é o livro de cartas do Caio Fernando Abreu, compilado por Ítalo Moriconi. Ainda não terminei de ler, mas o que posso dizer é que esse é um daqueles livros para ler grifando! As cartas revelam quem era de fato Caio Fernando, contam algumas de suas histórias de vida, anseios e paixões, além de conter uma gama daquelas frases sobre a vida que a gente ama! É um livro sobre a vida e sobre um dos maiores escritores brasileiros, na minha modesta opinião! #Recomendo

Sinopse: Este volume reúne uma seleção de sua correspondência para familiares, amigos íntimos como Luciano Alabarse, Gilberto Gawronski, Marcos Breda, José Márcio Penido, Déa Martins, Luiz Arthur Nunes, Maria Lídia Magliani, Jacqueline Cantore e escritores e artistas queridos como Maria Adelaide Amaral, Adriana Calcanhoto, Regina Duarte, Bruna Lombardi, Mário Prata, Hilda Hilst e João Silvério Trevisan, entre outros.